quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Algumas questões do ENEM 2010 comentadas (II)

Ontem eu publiquei aqui os meus comentários sobre 10 questões do ENEM, e hoje vou comentar mais 10. As questões são referentes ao ENEM 2010 e englobam todas as áreas cobradas: ciências humanas, ciências da natureza, linguagem e matemática.
Lembrando que as questões 1 a 90 são enumeradas seguindo a ordem da prova rosa, e as de 91 a 180 seguem a ordem da prova azul.
Para quem vai fazer o ENEM no próximo final de semana, eu desejo uma boa sorte! Depois volte para nos contar como foi!
Aí vão as questões. Discussões sobre elas podem ser iniciadas nos comentários.


48. Em nosso cotidiano, utilizamos as palavras “calor” e “temperatura” de forma diferente de como elas são usadas no meio científico. Na linguagem corrente, calor é identificado como “algo quente” e temperatura mede a “quantidade de calor de um corpo”. Esses significados, no entanto, não conseguem explicar diversas situações que podem ser verificadas na prática. Do ponto de vista científico, que situação prática mostra a limitação dos conceitos corriqueiros de calor e temperatura?
a) A temperatura da água pode ficar constante durante o tempo em que estiver fervendo.
b) Uma mãe coloca a mão na água da banheira do bebê para verificar a temperatura da água.
c) A chama de um fogão pode ser usada para aumentar a temperatura da água em uma panela.
d) A água quente que está em uma caneca é passada para outra caneca a fim de diminuir sua temperatura.
e) Um forno pode fornecer calor para uma vasilha de água que está em seu interior com menor temperatura do que a dele.

O foco do texto é que os termos “calor” e “temperatura” têm significados distintos, mas às vezes são usados no cotidiano como sinônimos. E logo a alternativa A já nos mostra o que a questão pede: quando a água está fervendo, sua temperatura se mantém constante. Isso porque, ao chegar a 100ºC, começa a ferver, e uma vez atingida sua temperatura, todo o resto do calor recebido é usado para a água evaporar. Ou seja, ela recebe calor, mas mantém sua temperatura.


116. Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, malcriados, instantes cada vez mais completos. A cozinha era enfim espaçosa, o fogão enguiçado dava estouros. O calor era forte no apartamento que estavam aos poucos pagando.  Mas o vento batendo nas cortinas que ela mesma cortara lembrava-lhe que se quisesse podia parar e enxugar a testa, olhando o calmo horizonte. Como um lavrador. Ela plantara as sementes que tinha na mão, não outras, mas essas apenas.
LISPECTOR, C. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.
A autora emprega por duas vezes o conectivo mas no fragmento apresentado. Observando aspectos da organização, estruturação e funcionalidade dos elementos que articulam o texto, o conectivo mas
a) expressa o mesmo conteúdo nas duas situações em que aparece no texto.
b) quebra a fluidez do texto e prejudica a compreensão, se usado no início da frase.
c) ocupa posição fixa, sendo inadequado seu uso na abertura da frase.
d) contém uma ideia de sequência temporal que direciona a conclusão do leitor.
e) assume funções discursivas distintas nos dois contextos de uso.

Alternativa E. De fato: na primeira frase, a palavra “mas” tem o sentido de “porém”, “entretanto”; na segunda, o sentido é outro, mais próximo de “senão”.


120. O voleibol é um dos esportes mais praticados na atualidade. Está presente nas competições esportivas, nos jogos escolares e na recreação, Nesse esporte, os praticantes utilizam alguns movimentos específicos como: saque, manchete, bloqueio, levantamento, toque, entre outros. 
Na sequência de imagens, identificam-se os movimentos de
a) sacar e colocar a bola em jogo, defender a bola e realizar a cortada como forma de ataque.
b) arremessar a bola, tocar para passar a bola ao levantador e bloquear como forma de ataque,
c) tocar e colocar a bola em jogo, cortar para defender e levantar a bola para atacar.
d) passar a bola e iniciar a partida, lançar a bola ao levantador e realizar a manchete para defender.
e) cortar como forma de ataque, passar a bola para defender e bloquear como forma de ataque.

ENEM mostrando que também cobra educação física! Alternativa A: saque, defesa e ataque.


124. Choque a 36 000 km/h
A faixa que vai de 160 quilômetros de altitude em volta da terra assemelha-se a uma avenida congestionada onde orbitam 3 000 satélites ativos. Eles disputam espaço com 17 000 fragmentos de artefatos lançados pela Terra e que se desmancharam – foguetes, satélites desativados e até ferramentas perdidas por astronautas. Com um tráfego celeste tão intenso, era questão de tempo para que acontecesse um acidente de grandes proporções, como o da semana passada. Na terça-feira, dois satélites em órbita desde os anos 90 colidiram em um ponto 790 quilômetros acima da Sibéria. A trombada dos satélites chama a atenção para os riscos que oferece a montanha de lixo espacial em órbita. Como os objetos viajam a grande velocidade, mesmo um pequeno fragmento de 10 centímetros poderia causar estragos consideráveis no telescópio Hubble ou na estação espacial Intemacional – nesse caso pondo  em risco a vida dos astronautas que lá trabalham.
Revista Veja. 18 set. 2009 (adaptado).
Levando-se em consideração os elementos constitutivos de um texto jornalístico, infere-se que o autor teve como objetivo
a) exaltar o emprego da linguagem figurada.
b) criar suspense e despertar temor no leitor.
c) influenciar a opinião dos leitores sobre o tema, com as marcas argumentativas de seu posicionamento.
d) induzir o leitor a pensar que os satélites artificiais representam um grande perigo para toda a humanidade.
e) exercitar a ironia ao empregar “avenida congestionada”; “tráfego celeste tão intenso”; “montanha de lixo”.

Marquei a alternativa B (criar suspense e despertar temor no leitor), porque foi exatamente o que aconteceu comigo quando estava lendo! No entanto, a resposta correta é a alternativa C.


 167. Em um casamento, os donos da festa serviam champanhe aos seus convidados em taças com formato de um hemisfério (Figura 1), porém um acidente na cozinha culminou na quebra de grande parte desses recipientes. Para substituir as taças quebradas, utilizou-se um outro tipo com formato de cone (Figura 2). No entanto, os noivos solicitaram que o volume de champanhe nos dois tipos de taças fosse igual.
Sabendo que a taça com o formato de hemisfério é servida
completamente cheia, a altura do volume de champanhe
que deve ser colocado na outra taça, em centímetros, é de
a) 1,33.         b) 6,00.         c) 12,00.         d) 56,52.         e) 113,04

O volume contido na taça em forma de hemisfério é 2/3πR³, porque ela equivale a meia esfera. Como sabemos que o raio da superfície do líquido na taça em forma de cone também será 3 cm (veja a figura), deveremos ter que (2/3)πR³ = (1/3)πR²h (o volume do hemisfério é igual ao do cone). Podemos dividir ambos os lados da equação por π, obtendo (2/3)R³ = (1/3)R²h, ou 2R³ = R²h. Podemos isolar o h ou substituir assim mesmo o R pelo valor conhecido R=3. Assim, 2R³ = R²h => 2x3³ = 3² x h => 54 = 9h => h = 54/9 = 6. Então, a alternativa B é a correta.


138. No monte de Cerro Armazones, no deserto de Atacama, no Chile, ficará o maior telescópio da superfície terrestre, o Telescópio Europeu Extremamente Grande (E-ELT). O E-ELT terá um espelho primário de 42 m de diâmetro, “o maior olho do mundo voltado para o céu”.
Disponível em htttp://www.estadao.com.br. Acesso em: 27 abr. 2010 (adaptado).
Ao ler esse texto em uma sala de aula, uma professora fez uma suposição de que o diâmetro do olho humano mede aproximadamente 2,1 cm. Qual a razão entre o diâmetro aproximado do olho
humano, suposto pela professora, e o diâmetro do espelho primário do telescópio citado?
a) 1 : 20
b) 1 : 100
c) 1 : 200
d) 1 : 1 000
e) 1 : 2 000

Apesar de eu não ver razão para se comparar o tamanho de um espelho primário com o tamanho de um olho humano, é fácil fazer as contas. 42 metros equivalem a 4200 centímetros. Dividindo pelo tamanho do olho, que é 2,1 centímetros, obtemos 2000. Assim, o espelho primário é 2000 vezes maior do que um olho humano, e a resposta é a alternativa E.


144. A classificação de um país no quadro de medalhas nos Jogos Olímpicos depende do número de medalhas de ouro que obteve na competição, tendo como critério de desempate o número de medalhas de prata seguido do número de medalhas de bronze conquistados. Nas Olimpíadas de 2004, o Brasil foi o décimo sexto colocado no quadro de medalhas, tendo obtido 5 medalhas de ouro, 2 de prata e 3 de bronze. Parte desse quadro de medalhas é reproduzida a seguir.
Disponível em: http://www.quadroademedalhas.com.br. Acesso em: 05 abr. 2010 (adaptado).
Se o Brasil tivesse obtido mais 4 medalhas de ouro, 4 de prata e 10 de bronze, sem alterações no número de medalhas dos demais países mostrados no quadro, qual teria sido a classificação brasileira no quadro de medalhas das
Olimpíadas de 2004?
a) 13°     b) 12°      c) 11°     d) 10°     e) 9°

Com mais 4 medalhas de ouro e 4 de prata, o Brasil teria 9 medalhas de ouro e 6 de prata. Então, ele teria ultrapassado a Ucrânia, que tem 9 medalhas de ouro e só 5 de prata, mas não teria melhor desempenho do que Cuba, que ainda assim teria mais medalhas de prata. Por isso, o Brasil teria ficado logo depois de Cuba na tabela, ou seja, em na 12º colocação.


156. Uma escola recebeu do governo uma verba de R$ 1000,00 para enviar dois tipos de folhetos pelo correio. O diretor da escola pesquisou que tipos de selos deveriam ser utilizados. Concluiu que, para o primeiro tipo de folheto, bastava um selo de R$ 0,65 enquanto para folhetos do segundo tipo seriam necessários três selos, um de R$ 0,65, um de R$ 0,60 e um de R$ 0,20. O diretor solicitou que se comprassem selos de modo que fossem  postados exatamente 500 folhetos do segundo tipo e uma quantidade restante de selos que permitisse o envio do máximo possível de folhetos do primeiro tipo. Quantos selos de R$ 0,65 foram comprados?
a) 476                    b) 675                    c) 923
d) 965                    e) 1 538

Esse foi o meu rascunho, conseguem entender?
Eu não consigo, então vou fazer de novo.
Para postar folhetos do segundo tipo, são gastos 65+60+20 = 145 centavos. Multiplicando por 500 (pois queremos mandar 500 folhetos assim), teremos gasto 72500 centavos, ou 725 reais. Mas a verba recebida foi de 1000 reais, então sobram 275 reais para gastar com os folhetos do primeiro tipo. Com esse dinheiro, equivalente a 27500 centavos, poderemos comprar mais 423 selos para usar com o folheto do primeiro tipo, porque isso equivale a  27500 dividido por 65 (preço de envio do primeiro folheto). Ao total, compramos 500 selos de R$ 0,65 para o envelope do segundo tipo e mais 423 selos de R$ 0,65 para envelopes do segundo tipo. Foram então 923 selos de R$ 0,65.


178. A disparidade de volume entre os planetas é tão grande que seria possível colocá-los uns dentro dos outros. O planeta Mercúrio é o menor de todos. Marte é o segundo menor: dentro dele cabem três Mercúrios. Terra é o único com vida: dentro dela cabem sete Martes. Netuno é o quarto maior: dentro dele cabem 58 Terras. Júpiter é o maior dos planetas: dentro dele cabem 23 Netunos.
Revista Veja. Ano 41, no. 26, 25 jun. 2008 (adaptado)
Seguindo o raciocínio proposto, quantas Terras cabem dentro de Júpiter?
a) 406 
b) 1 334  
c) 4 002
d) 9 338   
e) 28 014

Em um Júpiter cabem 23 Netunos, e em cada Netuno cabem 58 Terras. Então, dentro de um Júpiter, cabem 23x58 = 1334 Terras (letra B).


174. O diretor de um colégio leu numa revista que os pés das mulheres estavam aumentando. Há alguns anos, a média do tamanho dos calçados das mulheres era de 35,5 e, hoje, é de 37,0. Embora não fosse uma informação científica, ele ficou curioso e fez uma pesquisa com as funcionárias do seu colégio, obtendo o quadro a seguir: 
Escolhendo uma funcionária ao acaso e sabendo que ela tem calçado maior que 36,0, a probabilidade de ela calçar 38,0 é
a) 1/3
b) 1/5
c) 2/5
d) 5/7
e) 5/14

Como a pessoa escolhida ao acaso calça um número maior que 36, não calça 35 e nem 36. Portanto, calça 39, 38 ou 37. Existem 1 pessoa que calça 39, 10 que calçam 38 e 3 que calça 37, portanto, 14 pessoas ao total. Dessas 14, 10 calçam 38. Então, a probabilidade de escolhermos uma pessoa que calça 38 dentre as que calçam mais que 36 é de 10/14, ou 5/7, alternativa D.

Nenhum comentário:

Postagens populares